Arquivo do blog

O Movimento Mobiliza UEG consiste num movimento unificado de professores, estudantes e funcionários técnico-administrativos da Universidade Estadual de Goiás, espontâneo, independente, não institucionalizado, não hierarquizado e que adota como estratégia de atuação a ação direta. Seu objetivo é intervir no processo de construção da UEG com a finalidade de torná-la, de fato, uma universidade pública, gratuita, autônoma e democrática, capaz de cumprir o seu papel enquanto instituição de educação superior, produtora e socializadora de conhecimentos que contribuam para o bem-estar da sociedade goiana, em particular, da sociedade brasileira, em geral, e, quiçá, de toda a humanidade, primando pela qualidade reconhecida social e academicamente.

Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

Email MOBILIZA UEG

Translate

quarta-feira, 4 de março de 2015

MOÇÃO DE APOIO À LUTA CONTRA O AUMENTO DA TARIFA


Trabalhadores e estudantes revoltados ocupam de forma espontânea o Terminal da Pç. "A" em Goiânia

Moção de Apoio à Luta dos Trabalhadores Contra o Aumento da Tarifa do Transporte em Goiânia

O Movimento Mobiliza UEG, formado por professores, alunos e funcionários da UEG apoia incondicionalmente as manifestações espontâneas e populares contra o aumento das tarifas do transporte público em Goiânia, uma vez que o preço atual das passagens de ônibus na capital é abusivo, frente a uma frota de ônibus sucateada, sem pontualidade, com motoristas mal remunerados e ainda com ônibus sempre lotados de passageiros, que coloca em risco a vida dos usuários e de toda a população.
O último aumento da tarifa em Goiânia além de abusivo (18%), foi realizado de forma intencional e leviana pelos empresários do transporte coletivo da cidade em pleno feriado de carnaval, com o objetivo de evitar a crítica e a mobilização popular, porém, tal atitude covarde não foi capaz de conter o clamor e a revolta dos trabalhadores, e o povo novamente volta às ruas para protestar e dizer um basta à máfia do transporte público em Goiás, formada pelos empresários e também pelo governo municipal e estadual.
Na manhã da quinta-feira do dia 26 de fevereiro, o Terminal da “Praça A” em Goiânia foi palco de uma grande mobilização popular que parou por completo toda a circulação de ônibus na região do Bairro de Campinas. Trabalhadores e estudantes, usuários do transporte coletivo se uniram espontaneamente ocupando todo o terminal de ônibus, a reivindicação é contra a precarização do transporte público urbano na capital, onde pessoas são submetidas cotidianamente a condições insalubres e desumanas em ônibus sujos, lotados e sempre atrasados. Entretanto, o Governo de Marconi Periggo (PSDB), através da Polícia Militar e do poder Judiciário, realizou uma violenta ação de repressão aos manifestantes, prendendo aleatoriamente trabalhadores e estudantes usuários do transporte coletivo, que simplesmente faziam valer o direito constitucional de livre manifestação.  Ainda no final da tarde deste mesmo dia, manifestantes, agora em sua maioria estudantes, que participavam da mobilização agendada pela Frente de Lutas na Praça Universitária, também em Goiânia, foram covardemente presos pela polícia militar e encaminhados de forma ilegal diretamente para a penitenciária (CPP), negando o direito de ampla defesa aos mesmos.
O Movimento Mobiliza UEG denuncia a criminalização aos movimentos sociais em Goiás pelo Governo do Estado, que utiliza de seus instrumentos de repressão, como a polícia e também do judiciário, para amedrontar, intimidar e aterrorizar a população, prendendo e processando individualmente trabalhadores que utilizam das ações diretas, manifestações e mobilizações como direito legítimo de reivindicação e de protesto.
A brutal e massiva repressão por parte do governo de Marconi Periggo (PSDB) aniquila por completo os direitos constitucionais de manifestação, e tenta de forma despótica e covarde, desmobilizar e quebrar os vínculos de solidariedade da classe trabalhadora nas manifestações através do medo e do terror imposto aos cidadãos goianos.
As atuais formas de violência do estado em Goiás contra trabalhadores e estudantes demonstram o autoritarismo do governo e também provam que os verdadeiros vândalos, arruaceiros e baderneiros são os representantes do próprio Estado, como a polícia, os juízes  e o próprio governador, juntamente com os empresários do transporte coletivo, que de forma insaciável, almejam somente os grandes lucros através da contínua exploração da classe trabalhadora, tratando seres humanos como verdadeiros animais (boiada) dentro dos ônibus em Goiânia.  
Apoiamos a luta por uma Goiânia sem catracas, onde o direito de mobilidade seja garantido a todos os cidadãos, de forma gratuita, humanizada e com qualidade. O Movimento Mobiliza UEG exige ainda a soltura imediata de todos os trabalhadores e estudantes que foram criminalizados e presos através da prática violenta atual desta política de terrorismo de Estado em Goiás.

MOVIMENTO MOBILIZA UEG

Terminal de ônibus ocupado por estudantes e trabalhadores em Goiânia


Revolta popular contra o aumento do transporte e contra a imprensa na Pç. Universitária em Goiânia

Nenhum comentário:

Postar um comentário